Depoimentos

Mariana Dorsa Figueiredo – Campinas/SP

Escrito por ReabiVet

Encontrar a Reabivet foi o que me ajudou a reinventar a história da Dora, minha labradora mestiça, amada companheira. Hoje Dora tem 10 anos e é uma senhorinha feliz da vida! Mas quando tinha cerca de 5 anos, começou a sentir dores intensas e muita dificuldade para andar e levantar-se, quase não colocava a patinha traseira no chão.

Consultei um veterinário ortopedista e Dora recebeu o diagnóstico de displasia coxo-femural na pata traseira direita e artrose na esquerda. Senti muito pela notícia, mas imaginei que descobrir logo cedo nos permitiria começar a protegê-la e minimizar as conseqüências futuras. Porém, o veterinário foi categórico: não havia o que fazer. A displasia é uma doença crônica e não tem cura, o único recurso seria controlar a dor com antiinflamatórios e, pior, Dora teria que evitar andar muito. O que??? – ele mal terminou a frase e eu já estava chorando e sentindo um desespero difícil de descrever. Minha Dorinha, que todo dia me esperava saltitante para sairmos em nosso alegre passeio de fim de tarde, ela com apenas 5 anos, apenas na metade da vida, não ia mais poder “andar muito”??? Não foi uma época fácil. Procurei por todos os cantos alguém que me oferecesse outro olhar. E ouvi muita coisa estranha nesse caminho: cachorro é cachorro, não podemos quer tratá-los como gente…

Até que cruzei com o carro da Reabivet e li: “fisioterapia e acupuntura para animais”. Claro!!! Assisti aos vídeos aqui do site e eram incríveis!!! Como não fazer isso pela minha mais fiel companheira e que me dava tantas alegrias? Dora foi avaliada pela Dra. Cristiane (que hoje já virou Cris, querida Cris). Sem me prometer milagres, ela apresentou possibilidades de tratamento e reabilitação. Mostrou-me grande seriedade, consistência e competência, e além disso, uma postura acolhedora àquilo que naquele momento eu estava vivendo. Ouviu-me, tirou minhas dúvidas, me orientou. Isso me fez desenvolver uma confiança enorme na proposta de reabilitação.

Dora iniciou a acupuntura e, depois de 4 sessões, eu já podia vê-la bem melhor. Ensaiava corridinhas, podia ficar mais tempo em pé e já conseguia se levantar com menos dificuldade. Começamos com 2 sessões por semana e hoje fazemos apenas 1 vez ao mês. Além da acupuntura, também já usamos moxa, quiropraxia, stiper – sempre de acordo com as necessidades dela. E Dora ama!!! É só chegarmos na esquina da Reabivet e ela já se levanta no carro, faz festa e até choraminga se passo na frente e não estaciono. Penso que o tempo que ela fica deitada na acupuntura é um tempo de prazer para ela, porque é o cuidado que ela precisa para não sentir dor, para poder brincar e correr por aí, aproveitando o tantão de vida que ela ainda tem. Continuamos saindo para nossos passeios, claro que hoje mais curtos e espaçados, mas eles continuam sendo o momento de maior alegria e proximidade que podemos ter juntas.

Percebo que todo o pessoal da Reabivet investe muito no estudo, na atualização e no desenvolvimento de novos conhecimentos e métodos. Acho que é por isso que seu trabalho é tão consistente. Sempre senti muita segurança na avaliação e na conduta delas, porque trabalham com um grau de competência e cuidado ético que são muito raros. Não apenas uma grande competência na aplicação das técnicas, mas um profundo senso ético para refletir sobre a singularidade dos casos, o que esperar e propor para cada um, as potencialidades e limites das ofertas e dos próprios pacientes e seus responsáveis. Tudo isso me traz a tranqüilidade de poder confiar plenamente que Dora e meus outros filhotes sempre terão todo o cuidado e suporte que precisarem.

Cris, Mariara, Iolanda e Su: tenho muito a agradecer a vocês. Vocês entraram na nossa vida de um jeito muito especial e não sairão mais. Com vocês, a Dora pôde ter uma história de muito, muito mais saúde, alegria e afeto!

Mariana Dorsa Figueiredo
Campinas/SP

Sobre o autor

ReabiVet

Deixe um comentário