Dicas

Campanha: Não aos fogos de artifício! Compartilhe essa ideia!

Escrito por ReabiVet

A cultura de soltar fogos de artifício não é só do Brasil. Não se sabe exatamente de onde surgiu. Ha indícios que surgiu na Ásia, ainda na pré – história. Sabe – se também que os chineses utilizam há mais de 2 mil anos.


Mas isso não significa que por ser uma ação cultural ela não pode ser modificada, não é mesmo? Afinal, os povos evoluem, ou pelo menos em teoria deveriam evoluir e as pessoas, olhar um pouco para o lado ou mesmo para dentro de suas casas.

Sim, porque os animais sofrem e sofrem demais nessas épocas e em todas as vezes que se soltam esses fogos: futebol, festa junina ou qualquer outro motivo.

Você sabia que o Brasil tem a segunda maior população de cães e gatos do mundo? Só perde para os EUA. São 52 milhões de cães e 22 milhões de gatos (segundo dados do IBGE de 2013).

Então, imagine você que solta fogos e nem se liga nas consequências, é o causador indireto do sofrimento de 52 milhões de pets?

E os pássaros então? Você sabia que eles são a espécie que mais sofre com essa prática?
Outras espécies também sofrem. Sem falar nos acidentes caseiros causados, os incêndios, a ampla variedade de poluição tóxica, a poluição sonora e assim vai!

Então, veja a lógica da ilógica: o Brasil tem a segunda população mundial de cães e gatos e é o segundo maior fabricante de fogos de artifício. Você acha que isso tem alguma lógica? Garanto que muitos de vocês que soltam, amam seus animais. Mas não param para pensar no sofrimento deles e de várias espécies.

Mas… Como alguns povos felizmente evoluem, em algumas cidades e países é proibido soltar fogos!
Em outros como Berlim na Alemanha, só é permitido soltar no dia 31 de dezembro e nos outros dias do ano é proibido.

Você sabia também que é possível fogos de artifício silenciosos?
Por fim, não é legal ficar mostrando fotos do estrago que isso causa nos cães e gatos. Mas saiba que isso causa muito sofrimento: desconforo sonoro extremo, mutilações, convulsões, traumas e em muitos casos, morte do animal.

Vamos mudar essa cultura?
Junte-se à ReabiVet na campanha: “Não solte fogos de artifício” e deixe seu pet mais vivo!

Sobre o autor

ReabiVet

Deixe um comentário